Pular para o conteúdo principal

Kobato chega, Tsubasa acabando, é o Mundo CLAMP girando!

Entre os otakus a sigla CLAMP é quase uma unanimidade de conhecimento e respeito. Muitos admiram, outros apenas conhecem por nome ("aquele pessoal de Sakura e Tsubasa né?") e alguns (não poucos) são simplesmente aficcionados por todas as obras desse grupo de quatro mulheres que com o passar dos anos parecem mais especialista na arte de nos surpreender e causar entusiasmo.

Kobato, esse é o título do próximo anime com a assinatura CLAMP a ser lançado na temporada de Outubro (chamada de temporada de Outono). A Kadokawa, estúdio responsável pela animação, já começou a divulgação com um vídeo de 30 segundos de duração, só pra deixar os fãs espalhados pelo mundo babando ( incluindo eu =)~ ). Com certeza a série promete muito, como todos os trabalhos do grupo.

Enquanto isso, finalmente, após reviravoltas e mais reviravoltas que já trouxeram náuseas a muita gente que lê o mangá de Tsubasa, Reservoid Chronicles o fim da série foi anunciado. Uma dúvida que ficou no ar, por ter sido divulgado de forma diferentes em vários sites é sobre o também fim de XXXHolic, cuja trama é paralela a de Tsubasa. Não é algo obrigatório que os dois mangás encerrem juntos, mas a possibilidade não é nem um pouco nula. Vai entender a cabeça louca daquelas quatro!



Talvez para alguns o fascínio que CLAMP causa seja um mistério, mas é só se aprofundar um pouco mais no trabalho do grupo para começar a entender esse segredo. Estórias do gênero tipicamente shoujo que conseguem conquistar muito marmajo por aí (como Sakura Card Captors), tramas que se complementam e se interligam (o exemplo atual de Tsubasa e XXXHolic é a explosão definitiva dessa marca) , um traço belíssimo que vem evoluindo constantemente com os anos. Esses são alguns dos elementos que formam a marca CLAMP, uma sigla já tão poderosa que onde aparece atrai curiosidade (Code Geass que o diga, pois muitos dos que se tornaram fãs da série a encontraram por curiosidade e o traço CLAMP *incluindo eu*).

Aprofundar-se em CLAMP dentro de alguns anos pode vir a se tornar profissão devido ao grau de esforço gigantesco que exige do 'estudioso'. São dezenas de mangás e personagens que se interligam em universos próximos, unidos ou paralelos. Apesar de parecer um trabalho grande demais, já encontrei alguns especialistas conhecedores de CLAMP que não cansam de falar sobre aquele quadrinho onde a personagem de um mangá aparece em outro.

Pra finalizar o video da Kadokawa sobre Kobato, próximo anime CLAMP a caminho.



Matta ne! o/

Comentários

  1. O Clamp conquistou seu espaço pelo traço e pelas polêmicas, não pelas histórias e narrativas. Não é um dos meus estúdios prediletos, mas criou um estilo visual único e cativante. Realmente, as referências são um ponto alto do estúdio. O Ghibli também faz isso, mas não com a mesma intensidade do Clamp. Os temas recorrentes também são bem marcantes (será que a Torre de Tokyo continuará aparecendo em todas as obras?)
    ^^

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…