Pular para o conteúdo principal

Personagem do dia: Mio Akiyama

Nome: Mio Akiyama

Idade: 15 anos no início de K-on!

Seiyuu: Yoko Hikasa

Instrumento: Baixo (canhota)

K-on! é o anime musical que tem criado mais febre no Japão e por aqui nos últimos meses, o divertido caminho que quatro amigas trilham ao seu próprio modo para tentar conquistar o sucesso. Ah quem desvaloriza a obra por conter inúmeros momentos moe (para quem não conhece o termo: moe é algo apelativamente fofo ou adorável), com certeza essa é uma das marcas da série que 13 capítulos que foi lançada na temporada de Abril desde ano, mas não é tudo o que tem a oferecer.

O anime de K-on! em si merece e vai ter um review muito caprichado aqui no Mundo Mazaki, mas isso em outra oportunidade. Hoje vamos falar da "queridinha dos fãs" de K-on! A delicada, séria e muito fofa Mio Akiyama, baixista que conquista todos os corações do público com seu carisma e sua bela voz.

Pode-se dizer sem medo de errar que da formação original da Houkago Tea Time (nome com o qual a banda tema do anime é batizada forçadamente) Mio não é apenas a líder como a mais centrada e séria com relação a banda. Também isso não é nada difícil para uma garota sensata diantes das cabeças de vento que completam a banda. Mio é a segunda pessoa a integrar o clube de música, forçada por sua grande amiga Ritsu (que na verdade só queria poder ser presidente de algum clube e até gostou que de quebra ainda pode se tornar uma baterista).

A forte amizade entre Mio e Ritsu é constantemente motivos de suposições dos mais viciados em encontrar um shoujo-ai em todos os animes. Realmente na trama mesmo não existe possibilidades além da grande amizade entre as garotas, mas o constante moe presente em K-on! já é o suficiente para a imaginação de muita gente.


Mas, voltando a falar da baixista canhota e incrivelmente fofa, Mio caiu rapidamente no gosto do grande público com sua timidez, insegurança e medo exagerado de coisas feias e assustadoras. Já depois dos primeiros capítulos de K-on! a popularidade da menina já estava nas alturas se comparada com a das outras integrantes da HTT (Houkago Tea Time).

Mas foi ao chegar ao palco forçadamente pelo destino, no capítulo 7, cantando sua primeira composição com letra boba e fofinha (uma marca do estilo Mio de ser e criar) que ela conquistou de vez a atenção e admiração de quem assistiu a série. Além de todos os atributos que já possuia a garota ainda tem uma voz estonteante e arrebatadora! Coitada da Yui, guitarrista e protagonista da série, apesar de tudo muitos fãs dizem que era só Mio que deveria fazer o vocal.

Fãs são fãs, Yui canta até mais músicas que Mio e isso tem explicação, mas que fica pra quando eu for falar só da garotinha avoada.

Tamanha popularidade rendeu a Mio gestos de admiração que com certeza a fariam desmaiar de vergonha, como centenas e mais centenas de homenagens ecchis ou pior da sua imagem. Ela é linda, então obviamente era inevitável, ainda que ela não fosse tão moe e apaixonante.

K-on! e Mio são adoráveis e nos conquistam com canções que falam de apagadores ou canetas esfereográficas (detalhe é que todas essas letras, desde Fuwa Fuwa Time, ou "tempos leves e fofinhos", foram compostas pela baixista de coração doce). E ainda existem por ai otakus sem coração pra dar chance e ver o anime das garotas ;D

Com certeza K-on! não é um anime intelectual ou complexo, mas quem disse que precisamos levar tudo a sério todos os dias? Ainda mais com canções tão contagiosas quanto as da Houkago Tea Time, e especialmente na adorável voz da líder da banda, realmente o tema música tem toda a permissão para nos fazer rir e sentirmos alegres como se vivessemos também a rotina de Mio: estar com amigos, comendo e fazendo arte quando dá vontade.


Leiam e comentem! Talvez eu volte a luz do dia para postar pequenas news.
Matta ne!

Comentários

  1. o moe está dominando o mundo juntamente com o loli combinação frequente: loli+moe+yuri+fanservice = matar otakus (eu morreria mas morreria feliz)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…