Pular para o conteúdo principal

O recanto mais nerd da internet brazuca

Fazer propaganda de graça é realmente algo que eu não faço normalmente, a não ser que seja por algo que realmente mereça todo esse destaque, ainda mais se for algo fora do universo otaku. Porém o tema deste post é um site que conseguiu conquistar meu coração, depois de muita teimosia da minha parte e está agora entre os sites que mais frequento em português, estou falando do Jovem Nerd.

O site não é novo e nem é desconhecido do seu nicho, ganhou o prêmio de blog do ano pela MTV Brasil, o que não é pra qualquer um. Um blog temático desde o nome que é mais uma das provas que a cultura nerd (de modo verdadeiro ou não) está em alta, o jovem nerd tem seus méritos pelo conteúdo de qualidade, destacando-se pelo seu podcast.

Sinceramente relutei em frequentar o site, afinal não sou muito fã de viciados em hqs e etc etc, porém eu não pude mais desdenhar do site após clicar no link de um capítulo do Nerdcast(podcast do site) que falava sobre Isaac Asimov. Sim, isso tocou fundo no meu lado mais nerd de todos, o de viciada em estórias de robôs, incluindo especialmente as estórias de Asimov.

O Nerdcast é de longe a principal atração do site, bem elaborado, organizado e com uma equipe divertida que passa muitas informações sobre os temas abordados. A atração é semanal e todos que acompanham sempre esperam ansiosos pela semana seguinte para ver qual será o tema e poder escutar. Como comecei a visitar o site a pouco tempo, aproveito as horas da madrugada livre para escutar podcasts antigos com temas que eu gosto mais (como Matrix, Star Wars e etc... sim, eu sou nerd também, já estava na hora de mostrar isso no blog =P)

Enfim, fica aí a recomendação do site para todos que curtem alguma coisa desse universo (alguma coisa, porque eu mesma não sou ligada em todos os assuntos que eles abordam) o podcast é de qualidade e agradável para fãs e para quem queira conhecer mais de algum tema.


Comentem! Cada comentário gera um dollar para a ONG de recuperação de Siths arrependidos! (Sim, essa foi forte, mas o post é de nerd ora.... xD)

Matta ne!

Comentários

  1. "Fazer propaganda de graça é realmente algo que eu não faço normalmente"
    *olha para os últimos posts* *começa a tossir interminávelmente sem motivo aparente*

    Essa questão de ser nerd, eu sou um tipo de nerd que...bem, digamos que quebra os padrões mas segue o modelo. Se você é tão nerd a ponto de ficar ofendido com o que eu vou dizer a seguir, sugiro que pule esse parágrafo agora. Por favor.

    Ok. Você que ainda está aqui...seguinte. Nunca vi star wars, nunca vi nenhum desses filmes ou nenhuma dessas séries que dizem que todo nerd já deve ter visto. Não sou fã desses robôs à moda antiga, e vou ser bem sincero, sou de longe uma pessoa que quebra os estereótipos. Mas nunca nem tive vontade de assistir nada disso. Nunca gostei dessas HQs de ação, não gosto da Marvel, e o pior é que de tanto que sou desinteressado quanto a isso, não sei te dizer outras produtoras do tipo. Mas por que? Simples. O nerd é alguma pessoa que é, digamos, moderna, e que gosta de tecnologia e afins, gosta das coisas que revolucionam a era do ponto de vista da tecnologia e do entretenimento. E aí eu pergunto. Pra mim, uma pessoa que nasceu em 96 e acordou para o mundo em 2003 (Digamos assim, ok?), o que Star Wars, ou HQs da Marvel, ou qualquer um desses estereótipos tem de moderno?
    Sou da era dos mangás, sou da internet, sou de um tempo em que os curtas em flash independentes, sem fins lucrativos e feitos por desconhecidos (Também vou dizer assim, afinal, existem vários que se destacam) substituem os filmes que gastam milhões em recursos e tem durações intermináveis. Sou uma pessoa que nunca comprou um CD na vida, e sempre que procura por música vai na NGaP (Newgrounds Audio Portal) procurar as músicas da semana para baixar, ao invés de ir ouvir a rádio, que se limita ao rap americano. Esse preconceito que a mídia forma nas pessoas sendo burlado graças à internet e à independência é o que marca as subdivisões do nerd atual. Os geeks, os otakus, ou até mesmo a sua amiga viciada no nsm (nsm, hihihih) descenderam diretamente do bom e velho nerd, que gostava de quadrinhos e star wars. Mas hoje, sinceramente, esse tipo de nerd já é ultrapassado. O nerd de hoje é quem já entende que a mídia vai só te prender, que os filmes vão te deixar num mundinho simples que não deveria nem mais existir, graças à internet e à difusão de informação. A censura existe sim fora da china e da coréia do norte. Ela está aí. Garanto que se nas rádios tocasse An Cafe, L'arc e kaggra,(sim, o nome da banda tem essa vírgula), meus amigos não iriam estranhar quando eles chegam na minha casa e tá tocando Uzu, Chaoz Airflow, ou algo do tipo. Por essas e outras que digo o que estou dizendo. O nerd mudou. E eu falo mesmo, quem se diz nerd ainda está preso no passado.
    ~Blek
    Nossa, isso ficou enorme. Realmente, acho que vou copiar isso e colocar lá na BDO, tô precisando de posts de qualidade lá. E realmente, pensar que isso só começou de um comentário, dá até medo.

    ResponderExcluir
  2. Sabe Blek, seu ponto de vista é sim completamente válido, alguém que nasceu em 96, etc etc, sim, não gostar de coisas antigas é bem normal, porém só há algo a ressaltar.

    Dizer algo como "O nerd mudou. E eu falo mesmo, quem se diz nerd ainda está preso no passado"

    Acho que é totalmente equivocado. E o motivo é bem simples.

    Não pense que por seu ponto de vista ser correto, que é a verdade absoluta ^^

    Existem nerds que gostam de anime e mangá (chamados de otakus), tem os viciados em programação (hackers, não os criminosos) e tem também os que gostam de hqs e velhos filmes (que alias tem sua importância não pela idade, mas pelo conteúdo ^^). Todos são nerds, então não tente acreditar que alguém está preso ao passado ^^

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Nossa. Realmente, entra no msn aí, vou te passar uma coisinha pra você ler, você vai achar interessante, te garanto. Ok, seguinte, realmente, quando eu escrevo esses textos eu acabo escrevendo desse jeito sem querer. Tenho ódio disso, sou assim, e se tiver algum psiquiatra que corrija o jeito de ser de alguém me avise, vou marcar uma consulta urgente, você não é a primeira que foi "vítima" disso. Peço desculpas.

    Bem, de qualquer modo, já vou linkar aqui, nem precisa entrar lá, não vou complicar mais ainda.
    http://www.mithral.com/~beberg/manifesto.html

    Novamente, peço desculpas. ~Blek

    ResponderExcluir
  5. da fato é um texto que representa um PONTO DE VISTA cheio de revolta, apesar nem tão interessante ^^

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…