Pular para o conteúdo principal

Idéias e idéias

Olá a todos! Peço desculpas pela minha ausência por motivos de doença. Felizmente está tudo bem e estou a salvo xD *dessa vez passei sufoco!*

Bom, hoje vou sair um pouco das anime songs e curiosidades otaku/nerd e colocar algo mais pessoal. Fato é que estou sempre elaborando roteiros e plots (é contra a minha vontade, simplesmente as estórias surgem!) então aproveito para de vez em quando colocar algum rascunho por aqui =) *o blog é meu afinal... xD*. O que posso fazer se meu maior objetivo ainda são os livros? =)


**************************************************************************************
O Acaso o escolheu para ter uma habilidade única, a coincidência o levou ao caminho do homem que lhe deu todas as ferramentas para seu crescimento. O mundo fez questão de não saber de sua existência para que seu potencial fosse um segredo. Mas foi ele que escolheu usar o que sabia para criar morte e destruição.

Poderia ter sido com qualquer pessoa, mas foi com ele que tudo foi diferente. Desde que nasceu não olhava o mundo da mesma maneira. Tudo era simples, lógico, comum. Entender complexos problemas de matemática que encontrava em livros na biblioteca pública era uma pequena diversão por serem simples. Com oito anos equações diferenciais não eram mais novidade para ele. Porém tudo isso em segredo, pois sua mãe era uma mulher comum que não entendia dessas coisas de Ciência.

O engraçado é que foi em um dia em que havia somente sido levado para tomar sorvete que seu destino se decidiu.

Aquele velho homem de aspecto amigável e inteligente o observou com interesse, lhe deu um livro e o perguntou se sabia o que tinha ali. Claro que o garoto sabia aquele tipo de física quântica, por sorte havia alguns livros do assunto ao alcance na biblioteca. O homem se impressionou, lhe deu um centro para estudos, lhe pagou faculdades, viagens, tudo porque era um homem da Ciência que não achava mais que seu papel era pesquisar e construir e sim criar novos criadores de conhecimento.

O garoto tinha tudo para se tornar um jovem conhecido, um grande engenheiro, trabalhar para grandes projetos e ajuda a complexa humanidade. Mas não era isso que ele queria primeiro. E foi assim que ele se escondeu e isolou do mundo inteiro.

Pois ele tinha um plano, um grande plano. Um plano simples e objetivo – mostrar para os homens o tamanho da sua insignificância. Afinal ele era especial, podia pensar mais rápido e melhor que qualquer outro, era capaz de construir robôs que construíssem robôs como ele necessitava, sozinho. Iria usar a si próprio para fechar o ciclo de vida e destruição que era inevitável.

Ele seria a morte invisível e indestrutível.

************************************************************************************

Ela realmente não escolheu aquele caminho. Seus pais eram amigos do Mestre e ela naturalmente começou seu caminho místico desde cedo. Sequer entendia bem o que estava tentando aprender até boa parte do caminho.

Foi preciso ver sua própria morte nos olhos daquele demônio em forma humana para entender o que significava estar ali. Foi diante do sangue e dor que utilizou sua técnica primária para se salvar, se tornando a única a sobreviver à morte sem face, porém com olhos frios e cruéis.

Naquele momento algo mudou em si. A jovem entendeu o que realmente significava aquele caminho de trevas. Um raio único de luz entrou no mais profundo dos vales de sofrimento para lhe dizer aquele segredo. Ali nasceu sua determinação, sua busca, seu segredo e sua sabedoria. Talvez a sorte a tenha dado a chance de sentir tudo o que sentiu a partir daquele instante.

Depois de tudo ela cruzou montanhas, enfrentou seres sem nome, viu seu próprio sangue correr para fora por chagas que não podia curar. Sentiu sua carne apodrecer e tentar roubar a sua força que chamava de alma. A violência a perseguiu e ela se jogou de braços abertos, pois era o que tinha decido, agora consciente e sem medo.

Era tudo muito solitário e vazio, mas sabia que ao final aquele calor a esperava. Era o caminho de podridão e veneno, era a luta e assassinato. Matou até quando não podia mais se mover em meio aos cadáveres.

Essa seria a sua arma de justiça, de paz. O segredo mais poderoso que havia para si foi encontrado quando ela percebeu que todas as coisas fazem parte do mesmo ciclo sem fim, e que não havia porque se tornar uma sombra por carregar as trevas em si.

Foi assim que ela tornou-se a Mestra da Morte.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…