Pular para o conteúdo principal

Bouken-Ni #20 - Só mais um!

Olá a todos! Mais uma semana passou, então chegou a hora de mais uma tira do Bouken-Ni! 

Devo confessar que estou feliz de ter chegado a pequenina marca de 20 tiras, afinal, a um ano atrás, quando ainda estava lutando contra o medo de lançar o BN eu não iria levar fé que alcançaria nem 10 edições. E vejam só, hoje além de tiras e ilustrações constantes, os planos são ainda muito maiores. É por essas e outras que dizem que é melhor tentar as coisas do que se arrepender depois.

MAS, saindo do momento filosofia barata, vamos à tira da semana!

Quem nunca? Ainda me lembro amargamente da madrugada que perdi vendo Kyoshiro to Towa no Sora. . .

E agora a ilustração da semana! Tsun vs. Pseudo-Cult! Sim sim, esses dois ai mostram bem que as amizades entre os otakinhos do elenco do BN não é assim tão pacífica. . . Vamos ver!

Rivalidade? Inimizade? Será que a Tsun tem um lado 'dere' pelo Pseudo-Cult?! Só o tempo dirá!


Essa semana vou aproveitar o espacinho aqui para linkar um texto que achei realmente muito bom para qualquer um que já tenha pensado em fazer quadrinhos, mesmo aqueles que viraram crítico pseudo-cults por ter desistido no caminho. Trata-se de uma postagem recente do Fábio Sakuda no seu blog, lá no portal Genkidama. Vale muito a leitura.


Bom, eu posso até desenhar mal e realmente não levar jeito pra coisa, mas sou até orgulhosa pelo Bouken-Ni ;D

Até semana que vem pessoal!

Comentários

  1. Saudações

    Gostaria de conhecer alguém que nunca tenha se arrependido de chegar até o fim, em um anime/seriado/filme e que, após certa expectativa, não tenha se arrependido do final da obra.

    Doloroso, porém verdadeiro.

    Bouken-Ni extremamente honesto, jovem Mazaki.


    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, isso é tão nostálgico. Me lembra de quando eu estava começando nessa vida de otakinha e tudo era lindo e fabuloso. Hahahaha varava a noite só nessa de mais um episódio, só mais um. Aí, no outro dia na escola, eu sooooooooofria.

    Beijin na xexa, não costumo comentar, mas amodoro o BN.

    ResponderExcluir
  3. Yay! Finalmente li todas as tirinhas LOL

    Adorei o Bouken-Ni! Os personagens são bem carismáticos e as situaçãoes, não tem como não se identificar com alguma delas(se vc é otaku)! XD

    Vou começar a acompanhar as atualizações!

    Quanto a essa tirinha, me lembrou da vez que varei vendo Death Note ahauahuhua
    E pior que era esse esquema mesmo, "ah, só mais um episódio..." quando via a hora já era quase hora de ir pra faculdade XD

    ResponderExcluir
  4. Uau, isso é realmente algo comum! Acho que fiz isso com vários animes, mas não lembro de ter arrependimentos, as séries valeram a pena, mesmo com o sono atacando durante o outro dia! Me lembro de quando assisti "The Twelve Kingdoms"(Juni Kokuki) em um fim de semana. Chegou num ponto da madrugada em que eu me dizia, "só mais este, e vou deitar", mas ai amanheceu e pensei, "dana-se, faltam só 15 episódios, termino hoje!"(São 45 ao todo...). Almocei assistindo e ainda não me arrependi, o série boa! Foi o mesmo com "Noir"...

    Quanto ao link, senti uma pontada de culpa, mas concordo com tudo, é bem por ai mesmo.

    Discordo com você num ponto, Mazaki-san: acho que desenha bem, e tem motivos para se orgulhar, então, até, e espero ainda ter aquela conversa que estou lhe devendo...(se é que ainda posso oferecer algo, né? Cinco meses...)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…